You are currently viewing Exames de sangue

Exames de sangue

Você já fez dieta por muito tempo e não viu resultado algum? Ou já gastou horas na academia e mesmo assim não obteve as mudanças esperadas? Saiba que há vários outros fatores que afetam em nossos objetivos para o nosso corpo e para a nossa saúde . Esses fatores podem ser observados através de exames, e quem nos traz esse assunto é a nutricionista Maiara Cristina, que vai falar sobre os 6 marcadores mais importantes nos nossos exames de sangue.


Descubra os exames que podem desvendar sua dificuldade em ganhar massa muscular ou reduzir o percentual de gordura

Quando os resultados estagnam, muitas vezes nos perguntamos por quê não conseguimos avançar. Os treinos parecem que não rendem, o corpo não responde ao novo estímulo alimentar ou de exercícios físicos. Nos perguntamos: onde será que estou errando?

Restringimos alimentos industrializamos, cuidamos das porções alimentares, evitamos os excessos, treinamos forte, suplementamos da maneira correta.
Além dos fatores que podemos modular nosso corpo possui uma infinidade de complexidades que podem estar nos distanciando do nosso objetivo. Por isso vale a pena ficar atento à 6 “marcadores” importantes do nosso exame de sangue.

  1. Insulina X Glicose: cada vez mais o aumento da glicose sanguínea ou da insulina basal é observada nos pacientes. Mesmo realizando exercícios físicos de maneira regular encontramos essa leve alteração.
    O que isso significa? Que o corpo não consegue utilizar da melhor maneira a glicose, podendo fazer com que esse indivíduo tenha uma maior facilidade em acumular gordura.
  2. TSH , T4 e T3: a tireoide é a principal glândula do nosso organismo que controla grande parte do nosso metabolismo. Alterações na produção de TSH tanto para mais quanto para menos indica alteração do funcionamento normal do metabolismo. É sempre importante acompanhar juntamente com um endocrinologista esses resultados. Hipo ou hipertireoidismo são facilmente diagnosticados e seu tratamento é efetivo.
  3. Testosterona: Tanto nos homens quanto nas mulheres a testosterona influencia na manutenção e crescimento das células musculares. Lembrando que esse hormônio é naturalmente elevado em homens. Mulheres com um nível de testosterona aumentado geralmente possuem mais facilidades de manter seu percentual de gordura reduzido.
    Homens com níveis de testosterona abaixo de 200ng/dL apresentam valores abaixo do que consideramos normal, prejudicando o desempenho físico e o ganho de massa muscular. A nível esportivo procuramos manter seus níveis entre 500-600ng/dL, sendo que atletas de elite chegam apresentar níveis próximos de 800ng/dL, obtendo facilidade em manter a estrutura muscular já formada para sua modalidade esportiva
  4. Estradiol: o hormônio característico na mulher, é o principal responsável pelo acúmulo de gordura. Homens que apresentam níveis muito altos de estradiol (acima de 39,0 ng/dL)podem ter maior facilidade de acumular gordura. Esse processo chama-se aromatização = quando parte da testosterona é transformada em estradiol. Há algumas estratégias que abordaremos no modulo de suplementação que poderão explicar melhor esse mecanismo e maneira de reduzir essa conversão.
  5. Zinco e Magnésio: ambos minerais participam da formação muscular. Quando possuímos deficiência de Zinco geralmente temos dificuldade em manter ou aumentar massa muscular. E a deficiência de magnésio tem sido diagnosticada na maioria dos pacientes com sobrepeso e obesidade. O que nos indica que bons estoques de magnésio influenciam na manutenção do peso e ainda na regulação de alguns sinalizadores corporais que também permitem o ganho de massa muscular.
  6. Vitamina D3 25 hidroxi: a maioria dos pacientes que atendemos no consultório apresentam essa deficiência. O aumento do nível de vitamina D no corpo pode prevenir ou ajudar a tratar um grande número de desconfortos: desde a obesidade até a artrite, da pressão alta às dores nas costas, do diabetes às câimbras musculares, das infecções nas vias respiratórias superiores às doenças infecciosas e da fibromialgia aos cânceres de mama, cólon, pâncreas, próstata e ovário. Ela pode proteger a gravidez, apoiar a manutenção do peso ideal, reduzir o crescimento celular anormal e prevenir doenças crônicas. Diretamente relacionada com a prevenção de diversas doenças quando seu estoque se encontra adequado acima de 30 ng/dL. Pacientes com deficiência dessa vitamina podem apresentar dificuldades de manter o peso e também de promover o crescimento das células musculares.

Vale a pena conferir como estão seus níveis atuais caso seus esforços com os cuidados gerais de alimentação e exercício físico não estejam sendo efetivos. Quando foi a última vez que você solicitou algum desses exames para seu médico ou nutricionista?


Maiara Cristina de Lima
Especialista em Nutrição Esportiva
Membro da Academia Brasileira de Nutrição Funcional
Professora de Pós-graduação em Nutrição Esportiva Funcional

@nutrimai

Face = /MaiaraCristinadeLimaNutricionista

Deixe uma resposta