You are currently viewing Dieta Low Carb

Dieta Low Carb

Já ouviu falar ou já fez a dieta Low Carb? Muitas pessoas procuram na internet, pegam de algum amigo, seguem as dicas da vizinha, mas não sabe ao certo o que é e como realmente deve ser aplicado no dia a dia. A nutricionista Ana Paula Bedin nos explica e nos dá algumas dicas sobre a dieta Low Carb.


Desmistificando a Dieta Low Carb

Hoje é muito fácil buscar informações na internet, muitas das quais, distorcidas e sem fundamentos científicos, que mais confundem do que orientam. Isso aconteceu recentemente com a dieta low carb, cujo conceito e aplicação acabaram distorcidos na prática.

Vejo diariamente pessoas excluindo da dieta alimentos como frutas e tubérculos pois não são “low carb” e substituindo esses alimentos por embutidos, torresmo e montes e montes de gordura, como se high fat fosse sinônimo de comer montanhas de creme de leite, abacate, nata, óleo de coco e afins.

Esquecem-se do contexto! E também da importância dos micronutrientes. Focam tanto em fechar os macros (carboidrato, gordura, proteína), que esquecem que sem vitaminas e minerais não há função no organismo que funcione bem.

Existem muitos fatores que levam as pessoas a uma vida de luta contra o sobrepeso e a obesidade, como sedentarismo, hábitos alimentares pouco saudáveis, questões metabólicas e genéticas, além, é claro, da correria e do estresse diários. E a procura por métodos mágicos, rápidos e práticos de emagrecimento é cada vez mais comum. E talvez, seja essa a razão pela qual tem se falado tanto na dieta Low Carb como solução para perder peso rapidamente, como se fosse modinha recente e sem fundamentação científica. Mas não é não.

Comer pouco carboidrato, vindo essencialmente de vegetais, frutas e raízes é o padrão dos nossos ancestrais, seguido até a metade do século 20, quando foram criadas algumas diretrizes alimentares condenando a gordura e colocando carboidratos como pães, massas e cereais integrais como a solução para prevenir doenças. Mas adivinhe? Nunca se viu tanta gente doente, obesa, diabética e cardiopata. Isso sem falar nas doenças modernas como câncer, doença celíaca e intolerância ao glúten e a lactose.

Mas então o que sera a dieta Low Carb?

Low Carb significa, de forma simplificada, a redução do consumo de carboidratos, principalmente através da substituição de fontes ricas em amido e calorias como massas, pães e grãos, por carboidratos mais saudáveis, ricos em micronutrientes e com menor teor de amido como legumes, frutas e vegetais. Não há consenso de quanto seria esse “low” carb. Alguns falam algo entre 30g e 150g/dia. Outros falam em 20 a 44% do valor energético diário. A verdade é que qualquer coisa abaixo dos padrões vigentes (que determinam de 45 a 60%  de carboidrato na dieta) pode ser chamado de low carb. É preciso individualizar para saber o que funciona para cada um.

Em uma dieta low carb com consumo adequado de proteína e de gordura natural dos alimentos há maior saciedade tanto pelo processo de digestão da proteína e da gordura, que provoca o aumento da liberação de hormônios relacionados à saciedade, quanto pela manutenção dos níveis de insulina em níveis mais baixos, evitando o acúmulo de gordura corporal. Além disso, há uma tendência a um menor consumo de calorias, já que proteínas e gorduras garantem saciedade por um tempo maior. Não há mais necessidade de se comer de 3 em 3 horas e nem aquela sensação de fome constante ou compulsão.

Em resumo, viver em low carb não é viver sem carboidrato, mas sim, comer esse macro de forma equilibrada e suficiente as nossas necessidades, dentro de opções saudáveis e naturais. É sair do pão de forma dito integral do supermercado e preferir a batata doce assada ou cozida. É trocar o bolinho sem glúten, sem lactose, “fit” por uma fruta ou oleaginosas ou qualquer outra coisa desde que seja comida de verdade.

Algumas dicas que podem ajudar:

1 – Tenha como base da dieta o consumo de legumes e vegetais variados.

2 – Exclua (ou reduza bastante) os carboidratos vindos de farinhas, pães, massas, açúcares e grãos

3 – Consuma frutas com moderação e variando entre elas.

4 – Fazer um consumo adequado de proteínas, como carnes, ovos com gema, peixes,frango, carne de porco e frutos do mar.

5 – Não há necessidade de fugir da gordura naturalmente presente nos alimentos, o que não quer dizer que está liberado se entupir dela.

6 – Avalie o contexto e não o alimento em si. Uma banana pode ser tanto low carb quanto high carb, depende do contexto em que for ingerida.

7 – Coma comida de verdade. Evite ultraprocessados e produtos alimentícios cheios de aditivos químicos.


Ana Paula Bedin

Nutricionista

CRN/10 – 4079

Instagram: @anapaulabedin

Site: www.anapaulabedin.com.br

Deixe uma resposta