You are currently viewing Alimentação Consciente e Intuitiva: Fazendo as Pazes Com a Comida e Com o Corpo

Alimentação Consciente e Intuitiva: Fazendo as Pazes Com a Comida e Com o Corpo

É fato que todos gostamos de nos sentir bem com nossos corpos, e com nossos alimentos. Por isso, na Nutri Jr. o mês de setembro é dedicado à Alimentação Intuitiva, em que a cada semana traremos um novo material sobre esse assunto, que é tão importante e cada vez mais presente nos dias atuais! O texto de hoje foi escrito pela nutricionista Geysa Koschnitzki, colunista do site ‘Sentidos do Comer’.


Alimentação Consciente e Intuitiva: Fazendo as Pazes Com a Comida e Com o Corpo

Comer é uma necessidade fisiológica e é questão de sobrevivência. É uma atividade saudável, prazerosa e não deveria estar nos trazendo tanta culpa. Na nossa atual cultura, obcecada por dietas, pela busca incansável por um corpo “perfeito” e pela perda de peso rápida, fácil e milagrosa, parece que se alimentar ficou perigoso! São muitas dicotomias como “pode” ou “não pode”, “engorda” ou “não engorda”, modismos e proibições. E este cenário cheio de restrições, onde nutrientes como o carboidrato e o glúten são tidos como vilões, não contribui para mudanças de comportamento duradouras ou para uma vida mais saudável. A obesidade, as doenças crônicas e os transtornos alimentares, em níveis cada vez maiores, evidenciam isto. Este contexto nos leva a pensar: será que as dietas estão funcionando? Quantas pessoas você conhece que já fizeram dieta e depois recuperaram o peso perdido?

As dietas não te respeitam, não conhecem a sua história com a comida e não trabalham a causa do seu comportamento alimentar. Provocam culpa, sensação de fracasso, perda da autoestima, e até ganho de peso em longo prazo. Quem nunca achou que não tinha força de vontade e disciplina porque abandonou uma dieta? O que ninguém diz, é que fracassar na dieta é normal. Nosso corpo não sabe que estamos nos restringindo voluntariamente (para atingir um determinado padrão de beleza) e encara esta situação como um sinal de perigo e alerta. Então, numa tentativa de nos proteger, ele reduz o nosso metabolismo, aumenta a nossa fome e o nosso desejo por carboidratos, o que acaba levando à recuperação do peso perdido (é o famoso efeito sanfona!).  A indústria do emagrecimento é cruel, pois promove um método que não funciona e ainda faz parecer que a culpa é sua. Assim, as pessoas ficam cada vez mais insatisfeitas com seus corpos, consumindo mais e mais produtos que prometem perda de peso, alimentos milagrosos, dietas da moda, cirurgias plásticas, cremes rejuvenescedores… Quanto tem de interesse da indústria da beleza em fazer com que a gente não se sinta bem?

No acompanhamento nutricional com a abordagem da Alimentação Consciente e Intuitiva (ACI), o foco nunca é o peso, pois entendemos que o peso é uma consequência de vários fatores, como herança genética, alterações hormonais, uso de medicamentos, nível de atividade física e qualidade da alimentação, por exemplo. E por ser uma consequência não deve ser tratado como meta. O foco sempre será na saúde, no bem estar e na causa do problema, que deve ser trabalhado a fundo com o objetivo de transformar, verdadeiramente, a relação do paciente com o seu corpo e com a comida. Assim, é possível conseguir mudanças no comportamento alimentar e no estilo de vida, que levem a uma perda de peso gradual, saudável e sustentável.

A ACI possui um olhar ampliado sobre a relação do indivíduo com os alimentos e com o próprio corpo, considerando os aspectos fisiológicos, sociais, culturais e emocionais da alimentação. Acredita que ter saúde, não necessariamente, está diretamente ligado a um determinado peso ou tamanho de corpo e sim a comportamentos e hábitos de vida saudáveis. Rema contra a maré da mentalidade de dietas e das proibições, resgatando a simplicidade de comer como nossos avós, cozinhando comida com cara de comida e respeitando os sinais internos de fome e saciedade. Nos remete à real importância do ato de comer como prazeroso, positivo e vital, prezando pela autonomia alimentar, reconexão com o corpo e pela intuição guiando a alimentação. Aqui, tão importante quanto “o que” comemos, é “como” e “porque” estamos nos alimentando.

O que a ACI busca é promover uma alimentação flexível, saudável, prazerosa, livre de dietas, regras e proibições. Ela procura entender qual o real significado que a comida e o desejo de emagrecer possuem em nossas vidas, levando em consideração que os aspectos que envolvem a nossa relação com a alimentação, vão desde a escolha dos alimentos, passando por sua história de vida, seus sentimentos, pensamentos e emoções. Não queremos a dieta da blogueira fitness, o alimento que vai “secar” a barriga ou o shake emagrecedor, que causam tristeza e frustração. O que precisamos é aceitar, respeitar e amar o corpo que existe hoje, para que o genuíno autocuidado cresça de dentro para fora e não de fora para dentro. A ACI se propõe a fazer uma nutrição mais gentil e amorosa, acreditando que ao tratar o corpo com carinho, ele vai retribuir este carinho!


  Fontes: 

 

ALVARENGA, Marle et al. NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL. Barueri, São Paulo.Manole, 2015.

TRIBOLE, E., RESCH, E. Intuitive Eating: A Revolutionary Program That Works – St Martins Press. 2012

GIRARD, Tanzie V. Gonçalves; FEIX, Leandro da Fonte. MINDFULNESS: CONCEPÇÕES TEÓRICAS E APLICAÇÕES CLÍNICAS.

 

Para entrar em contato com Geysa Koschnitzki ou obter mais informações, acesse:

Site: www.sentidosdocomer.com

Email: geysakm@gmail.com

Facebook: @geysaaci

Telefone: (22) 992330330/ 25232456

Endereço: Rua Farinha Filho, 14, cobertura 5, centro, Nova Friburgo

 

Deixe uma resposta