6 Dicas para melhor Higienizar e Armazenar os alimentos

Você sabia que mais de 70% dos casos de infecção e intoxicação alimentar acontecem em domicílios? A correta higienização e armazenamento dos alimentos é fundamental para a sua saúde e a da sua família.

As Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA’s) são causadas por microrganismos, parasitas ou toxinas prejudiciais à saúde, que estão presentes nos alimentos. Os sintomas mais comuns são: vômito, diarreia, dores de cabeça e abdominal, febre, entre outros. Normalmente, os sintomas podem desaparecer em alguns dias sem causar agravos à saúde, mas em casos de gestantes, idosos e crianças, o cuidado deve ser maior. Em alguns casos podem ocorrer complicações, e dependendo do grau de complexidade da doença, esta pode até mesmo levar à morte. Portanto, observar as características do alimento e tomar cuidados com a higiene e preparo, são extremamente importantes para garantir a segurança alimentar do consumidor.

Pensando na prevenção dessas doenças, é necessário que haja um controle em todo o processo de produção, a seguir vamos mostrar algumas dicas básicas para a correta higienização e armazenamento dos alimentos.

 

Antes de tudo, lave bem as mãos com água e sabão

Por mais simples que possa parecer, esse ponto é importantíssimo para que os outros passos não sejam em vão. É fundamental que toda a superfície da mão, unhas e punhos sejam esfregados e enxaguados por, no mínimo, um minuto. Após isso, é necessário secar as mãos com um papel toalha e finalizar com álcool em gel. Repetir este procedimento sempre que: mexer em alimentos não higienizados, utilizar o banheiro e tocar em objetos que não estão higienizados (como o celular).

 

Lave as frutas, verduras e legumes em água corrente

Após a compra dos alimentos, o ideal é que eles sejam higienizados antes do seu armazenamento, para impedir que ele seja foco de contaminação cruzada. Primeiramente, lave as hortaliças e frutas em água corrente. Em seguida, coloque-as de molho em solução de água e hipoclorito de sódio (você pode usar água sanitária), sempre respeitando a proporção de um litro de água para uma colher de sopa de água sanitária. Espere 15 minutos, e lave novamente as frutas e hortaliças em água corrente, para retirar os restos da solução de hipoclorito de sódio. Lembre-se: o hipoclorito pode ser tóxico, portanto é fundamental que a solução seja medida corretamente, e que seja retirado todos os vestígios da sua presença no alimento.

 

Lave corretamente os utensílios utilizados para o preparo

Antes e depois do uso de utensílios, tábuas de corte e talheres, lave abundantemente com água e sabão. Caso você utilize tábuas para corte de carnes cruas ou hortaliças não higienizadas, não utilize a mesma tábua para corte de alimentos que serão servidos crus ou que já passaram por tratamento térmico, evitando assim a contaminação cruzada proveniente da carne animal, ou da superfície do alimento.

 

Lavar o ovo apenas na hora da sua utilização

É fundamental que os ovos sejam higienizados de maneira correta antes da sua utilização, para que os microorganismos da casca do ovo não contaminem o seu conteúdo. Porém é comum que as pessoas façam sua higienização de maneira incorreta, ou seja, lavam os ovos antes de realizar o seu armazenamento. Dessa forma, a película de cera que fica ao redor da casca e protege os poros de serem contaminados é retirado, desprotegendo o ovo, e abrindo portas para microorganismo patógenos, como a Salmonella sp.. Sendo assim, a higienização dos ovos deve ser feita de forma igual a de hortaliças e frutas e apenas na hora de sua utilização.

 

Cozinhe adequadamente alimentos de origem animal

Cozinhar bem os alimentos de origem animal é de grande importância para se evitar possíveis DTA’s. Muitos produtos de origem animal possuem microorganismos que podem ser patogênicos ao ser humano, e que apenas são destruídos com uma cocção correta do alimento. Por este motivo evite consumir leite ou derivados não pasteurizados, carnes mal passadas, ovos com a gema mole, e se atente às condições de higiene e preparo dos locais de produção de sushi e outros alimentos que não passam por tratamento térmico antes de serem consumidos.

 

Não deixe o alimento pronto por mais de meia hora em temperatura ambiente

Para muitos microorganismos patógenos (causadores de doenças), como o Staphylococcus aureus, a temperatura ambiente é a ideal para que ocorra o seu desenvolvimento e produção de toxinas. Portanto, sirva os alimentos logo após sua finalização, e assim que possível, transfira-o ainda quente para o refrigerador.

 

Com essas dicas você diminui muito a chance de ocorrer algum tipo de intoxicação ou infecção alimentar após consumir algum alimento, e aproveita apenas o melhor que eles tem a oferecer, que são suas características organolépticas e seus nutrientes!

Deixe uma resposta